domingo, 7 de abril de 2019

Escuteiros de Figueiró dos Vinhos combatem a praga da hakea sericae em Peralcovo

Os Escuteiros do Agrupamento 148 de Figueiró dos Vinhos realizaram no passado dia 23 de março uma ação de voluntariado e de sensibilização para a praga da Hakea Sericae que assola neste momento a zona dos currais em Peralcovo.

Esta ação foi objeto de um artigo na edição de março do jornal "O Ribeira de Pera":


segunda-feira, 1 de abril de 2019

Carnaval de 2019 em Figueiró dos Vinhos

As celebrações do Carnaval em Figueiró dos Vinhos têm já uma longa tradição.

Apresentamos algumas fotografias do cortejo de dia 03 de março, destacando-se a participação de Campelo (fotografias de maior dimensão):


Uma casa de família de 1928

A casa da família paterna foi construída há 91 anos, pelas mãos de Manuel Martins, ou Manuel Martins Vilas. Nascido em Peralcovo em 1900, o filho de Teodósio Martins e de Maria da Piedade, tinha casado com Benedita dos Reis no Posto de Registo Civil de Campelo em 31 de agosto de 1922. Em 1927 nasceu-lhes o primeiro filho, Manuel dos Reis Martins.
Comerciante de fazendas (oriundas de Castanheira de Pera), percorria o sul do país, em particular Lisboa e Setúbal. Viria a falecer no Barreiro em circunstâncias muito trágicas em 12 de setembro de 1938.
Ficaram a viúva, três filhos pequenos, as terras adquiridas e valorizadas com o esforço de uma vida de muito trabalho, e esta casa.
 
 

domingo, 6 de janeiro de 2019

As grandes obras em Peralcovo em 1958 no jornal "O Norte do Distrito"

O jornal "O Norte do Distrito" de 25 de junho de 1961 dava nota das contas de grandes obras na estrada Peralcovo-Campelo e na fonte de Peralcovo, ocorridas no final de 1958.
O custo das obras foi de 18.369$70, dos quais apenas menos de metade foi coberto pela Administração Pública (5.000$00 da Câmara + 4.000$00 do Junta de Freguesia); tal como era habitual na época, eram os donativos do povo que viabilizavam os "melhoramentos" - e ainda há quem chore de saudosismo bafiento...



O jornal "O Norte do Distrito" publicou-se entre 1952 e 1955, era "quinzenal regionalista, propriedade de Ernesto de Araújo Lacerda e Costa, direcção de Joaquim Alves Tomaz Morgado, com sede em Figueiró dos Vinhos" (https://digitarq.arquivos.pt/details?id=4326980).