domingo, 6 de janeiro de 2019

As grandes obras em Peralcovo em 1958 no jornal "O Norte do Distrito"

O jornal "O Norte do Distrito" de 25 de junho de 1961 dava nota das contas de grandes obras na estrada Peralcovo-Campelo e na fonte de Peralcovo, ocorridas no final de 1958.
O custo das obras foi de 18.369$70, dos quais apenas menos de metade foi coberto pela Administração Pública (5.000$00 da Câmara + 4.000$00 do Junta de Freguesia); tal como era habitual na época, eram os donativos do povo que viabilizavam os "melhoramentos" - e ainda há quem chore de saudosismo bafiento...



O jornal "O Norte do Distrito" publicou-se entre 1952 e 1955, era "quinzenal regionalista, propriedade de Ernesto de Araújo Lacerda e Costa, direcção de Joaquim Alves Tomaz Morgado, com sede em Figueiró dos Vinhos" (https://digitarq.arquivos.pt/details?id=4326980).

sábado, 29 de dezembro de 2018

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Os currais de Peralcovo e a "Hackea-sericea"

Já aqui falamos dos currais de Peralcovo, nomeadamente em https://de-peralcovo.blogspot.com/2014/11/currais-peralcovo-figueiro-dos-vinhos.html.
O motivo que nos leva agora voltar a falar deste magnífico conjunto de construções, exemplares únicos da arquitetura popular regional, é a recente invasão de que estão a ser alvos por uma espécie predadora, a "Hakea-sericea" - ver folheto abaixo. 
Sabemos que vai ser pedida ajuda para a sua erradicação aos escuteiros de Figueiró dos Vinhos, esperamos que tal possa ser concretizado.
Uma nota para a Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos: o conjunto de currais de Peralcovo é certamente o maior e mais característico exemplar deste tipo de construção, de arquitetura popular, não só do concelho, mas de toda a região, pelo que se impõe a sua classificação - património de valor concelhio?

As fotografias seguintes são da autoria do Manuel Lisboa,a quem agradecemos a cortesia:

    A localização dos currais:
 Informação detalhada sobre a invasora "Hackea-sericea":


domingo, 16 de setembro de 2018

Feitura de carvão vegetal em Peralcovo

Soubemos muito recentemente que uma das atividades económicas de Peralcovo era a feitura de carvão vegetal, que era vendido nos arredores, nomeadamente na Castanheira de Pera e no Espinhal.

Esse carvão destinava-se essencialmente às forjas dos ferreiros e era feito na zona que atualmente é designada de Lomba, junto aos currais. Fotografias desse local: 

 
O processo da feitura do carvão iniciava-se com a abertura de um buraco onde era colocada torga e também alguma lenha de sobro, que de seguida se incendiava; o buraco era depois tapado com terra, sendo feitos dois orifícios para ventilação. Alguns dias depois a terra era removida e retirado o carvão.

Na Internet encontramos um post sobre o processo da feitura do carvão na Malcata, Sabugal - http://capeiaarraiana.pt/2012/12/02/feitura-do-carvao-em-malcata/

Estas informações foram dadas pelo Carlos Martins e João Martins, a quem agradecemos este contributo para a história de Peralcovo.

Festas de N. Sra. da Boa Viagem

Realizaram-se nos passados dias 18 e 19 de agosto em Peralcovo as festas de Nossa Senhora da Boa Viagem de 2018. Algumas imagens:


https://www.facebook.com/294233060785133/videos/243800159807700/